Criado para captar recursos para o setor do agronegócio, o CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) é um investimento de renda fixa isento de Imposto de Renda. O produto financeiro atrai investidores que desejam fomentar o setor diversifcar sua carteira de investimentos. 

A principal diferença entre CRA e as LCA (Letras de Crédito do Agronegócio), outro produto de Renda Fixa que também estimula o setor do agronegócio, são seus emissores. Enquanto as LCAs são emitidas por instituições financeiras, os CRAs são emitidos por companhias securitizadoras. 

O que é CRA?
Os CRA (Certificados de Recebíveis do Agronegócio) são títulos de renda fixa desenvolvidos para fomentar o setor agrícola do país. Quem investe nesses títulos compra fluxos de rendimentos de créditos que são fornecidos para financiar projetos agro.

Os CRAs surgem para suprir empréstimos relacionados à produção, comercialização, industrialização e beneficiamento de produtos, além de serem utilizados para compra de insumos, máquinas e implementos agrícolas.

A responsabilidade de uma companhia securitizadora é transformar esses créditos em títulos de renda fixa, negociando os produtos com investidores. 

A emissão de um CRA é feita a partir da necessidade de uma empresa, cooperativa ou produtor relacionados ao agronegócio. Eles acionam uma companhia securitizadora, negociando o valor desejado e termos contratuais. Após essa etapa, a companhia emite e disponibiliza os créditos como títulos de renda fixa.

Como funciona o regime fiduciário em um CRA?
O regime fiduciário é um instrumento que visa proteger seu capital de possíveis inadimplências de uma companhia securitizadora enquanto ele estiver investido. Nesse caso, os créditos usados como lastros são excluídos do patrimônio comum da companhia, constituindo um valor separado do montante da empresa. 

O regime foi criado para responder exclusivamente aos direitos dos investidores. Nesses moldes, quem investe em CRAs tem mais segurança nas operações.

Tipos de rentabilidade em aplicações em CRA

  • Prefixados: é definida uma taxa fixa no momento da aplicação. Com isso, o valor a ser recebido é definido previamente;
  • Pós-fixado: a rentabilidade do CRA é atrelada a um índice, seguindo o desempenho do CDI (Certificado de Depósito Interbancário),
  • Mistos: o pagamento é feito com base em uma taxa prefixada mais o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) ou IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) no prazo determinado para o investimento.

Como o Imposto de Renda atua nas CRAs
O investimento em CRA tem como vantagem a isenção de Imposto de Renda e do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). A medida existe para estimular os investidores a aplicar na modalidade, além de atrair empresas do setor a tomar crédito dessa forma.

Existe cobertura do FGC ao investir em CRAs?
Os CRIs e CRAs não contam com cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito). O fundo só é utilizado em caso de quebra do banco emissor, porém, esses títulos são emitidos por companhias securitizadoras, o que inviabiliza a cobertura.

Qual o risco ao investir em CRAs?
O risco de um CRA não realizar seu pagamento conforme previsto acontece apenas quando os devedores dos financiamentos não quitam suas dívidas. Os problemas que podem acontecer com as securitizadoras não afetam os títulos, já que seus valores são separados do patrimônio dessas empresas.

Todos os títulos de CRA possuem notas de Rating, feitas por agências especializadas em classificar títulos do mercado financeiro. Assim, você pode saber a qualidade e o risco de cada aplicação.

Como funcionam os prazos e a aplicação mínima para investir em CRA?
Os prazos mais comuns de CRAs são entre quatro e dez anos, mas podem variar conforme condições do mercado. Portanto, você deve avaliar se necessitará do valor aplicado no período estimado, considerando que o título é um investimento de maior prazo.

A liquidez do título é um ponto importante. CRIs e CRAs são negociados apenas no mercado secundário caso você queira vender seus ativos antes do prazo. Dessa maneira, o preço de venda estará sujeito a condições do mercado. 

Quer investir em CRA? Veja algumas vantagens

  • Pessoas físicas contam com isenção de Imposto de Renda nos investimentos em CRA;
  • É possível ter previsões sobre o rendimento do investimento no momento da compra do título;
  • O regime fiduciário faz com que o capital do título seja separado do patrimônio da companhia securitizadora, o que traz mais segurança à aplicação,
  • Investir em CRA faz com que você invista em títulos que desenvolvem o país e o setor do agronegócio.