Estamos iniciando a cobertura da Moura Dubeux (MDNE3) com classificação de compra e preço-alvo de R$ 15,00 para 2022, implicando em alta potencial de 64%.

A Moura Dubeux (MDNE3) está atualmente negociando a 0,7x P/VPA para 2021 e 0,7x P/VPA para 2022, 35% abaixo da média de seus pares no segmento de média/alta renda. Também estimamos que a empresa entregue um ROE de 9,2% em 2021 e 12,2% em 2022.

Recuperação do setor imobiliário

Embora os investidores venham apresentando um viés negativo em relação ao setor de construção residencial, continuamos confiantes no desempenho dos players de média/alta renda devido a alguns fatores, como a contínua expansão do crédito imobiliário e disputa por clientes de longo prazo entre grandes bancos.

Vale destacar também a a menor elasticidade entre clientes de alta renda e a oferta reprimida de novos apartamentos de média/alta e alta renda em todo o Brasil. Ressaltamos também que as carteiras de recebíveis da maioria das construtoras de média/alta renda tendem a funcionar como um hedge contra a inflação da construção, uma vez que seus recebíveis são corrigidos em grande parte pelos índices de inflação INCC ou IGP-DI.

A nosso ver, a defasagem de lançamentos nos segmentos de média/alta renda desde 2015 no Brasil gerou uma demanda reprimida por essas unidades, que deve continuar a apoiar as vendas e os lançamentos das empresas no curto e médio prazo.

Saiba mais:
> Primeiros Passos: Veja nosso e-book para começar na renda variável
> Acompanhe as análises do Safra em nosso canal no Telegram
Baixe o app e abra a sua conta no Safra

Nesse contexto, a tese de investimento para Moura Dubeux (MDNE3) é apoiada por:

  1. Avaliação com desconto: Nosso preço-alvo para a empresa implica um upside de 64%, acima do upside médio de 52% que temos para seus pares no segmento de média/alta renda. Além disso, estimamos uma relação ROE para P/VPA atraente de 18%, representando o indicador mais alto em toda a nossa cobertura.
     
  2. Balanço desalavancado: Com os recursos do IPO, a empresa reverteu a posição de dívida líquida de R$ 1,1 bilhão em caixa líquido e melhorou sua relação dívida líquida/patrimônio líquido de 13,7x em 2019 para 0,1x em 2020. Em nossa visão, esse ajuste foi crucial para apoiar o avanço da expansão da empresa, dado o elevado capital necessário nas fases iniciais dos empreendimentos imobiliários, inerente ao ciclo de negócios.
     
  3. Expansão do lucro: Com lançamentos e vendas crescendo significativamente nos próximos anos, esperamos uma recuperação mais rápida das receitas da Moura Dubeux no futuro, enquanto sua margem bruta também deve se beneficiar da maior penetração de lançamentos em seus resultados. Dessa forma, se a empresa mantiver sua estrutura de despesas reduzida em meio ao plano de expansão, sua eficiência operacional conduzirá a uma interessante expansão do lucro por ação, para a qual prevemos um CAGR de 41% entre 2021E-2024E.
     
  4. Domínio do mercado imobiliário nordestino: No geral, o mercado imobiliário do Nordeste foi fortemente afetado pela crise de 2014 e pela operação Lava Jato. Como tal, a Moura Dubeux tornou-se uma das poucas capitalizadas construtoras com capacidade de lançar mais de R$ 500 milhões por ano na área.
     
  5. Altos padrões de governança: Presente no mercado desde 1983, a empresa apresenta alto padrão de profissionalismo e transparência, o que levou à criação de um comitê de auditoria e colocou a empresa no segmento Novo Mercado.
     
  6. Administração experiente: No geral, a equipe executiva da empresa é composta por profissionais experientes e bem formados, que trabalham na Moura Dubeux há 19 anos em média, apresentando relevante know-how no setor imobiliário da região.

Vale a pena investir em MDNE3?

  • Entre os principais catalisadores estão vendas de estoques acabados, aumentando a geração de caixa da empresa e reduzindo despesas de manutenção;
  • Desempenho das vendas trimestrais, que deve ser visto como um termômetro para a demanda do mercado e pode potencialmente acelerar seus lançamentos;
  • Melhora nos indicadores que impactam o setor, como inflação, níveis de confiança dos consumidores e taxas de desemprego; e
  • Aumento mais rápido de seu banco de terrenos em locais estratégicos, especialmente em Recife e Salvador.

Quais são os principais riscos de MDNE3?

  • Estoque de terrenos limitado, que totaliza em torno de R$ 3,6 bilhões em VGV, suficiente apenas para suportar seu plano de crescimento para pouco mais de 2 anos;
  • Taxas de juros mais altas e custos de produção crescentes, o que forçaria a empresa a elevar os preços dos imóveis, potencialmente reduzindo a velocidade de vendas;
  • Aumento ou manutenção de elevadas taxas de desemprego, principalmente na região Nordeste, afetando a recuperação da indústria regional; e
  • Novos entrantes na região Nordeste, acirrando a concorrência e impactando os volumes de vendas, preços e custos de aquisição de terrenos.

Sobre a Moura Dubeux (MDNE3)

Com foco em empreendimentos residenciais voltados para famílias de renda média e alta na região metropolitana do Nordeste do Brasil, a empresa foi fundada em 1983 pelos irmãos Dubeux, principais acionistas da empresa hoje.

Apesar da crise imobiliária de 2014, que afetou severamente os negócios da Moura Dubeux (MDNE3), a empresa apresentou resultados mais sólidos desde o 2º semestre de 2020, pois utilizou os recursos de R$ 1,1 bilhão levantados com seu IPO para executar um processo de recuperação.

No total, a Moura Dubeux lançou R$ 672 milhões em VGV em 2020, mas a empresa está passando por um plano de expansão no qual pretende chegar a R$ 1,5 bilhão em VGV lançado até 2022, o que representaria um CAGR de 3 anos de 62%.

analise acoes moura dubeux mdne3.jpg

IMPORTANT GENERAL DISCLOSURES Este relatório tem caráter meramente informativo e não constitui oferta de compra ou de venda de títulos ou valores mobiliários ou de instrumentos financeiros de quaisquer espécies ou de participação em qualquer estratégia de negociação. As informações expressas neste documento são obtidas de fontes públicas disponíveis até a data da sua elaboração pela equipe de Análises Gráficas da Safra Corretora, e são consideradas seguras. A Safra Corretora ou qualquer de suas afiliadas não garante, expressa ou implicitamente, a completude, confiabilidade ou exatidão de tais informações, nem este relatório pretende ser uma base de dados e informações completa ou resumida sobre os títulos ou valores mobiliários, instrumentos financeiros, mercados ou produtos aqui referidos. A Safra Corretora não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório, tampouco de comunicar o leitor deste relatório, salvo quando deixar de cobrir qualquer das empresas analisadas neste relatório. As opiniões, estimativas, informações e projeções aqui expressas constituem a opinião do analista no momento em que emitiu o presente relatório e podem ser alteradas sem qualquer aviso. Preços e disponibilidade dos instrumentos financeiros são apenas indicativos e estão sujeitos a alterações, independentemente de qualquer aviso. Os instrumentos discutidos nesse relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não considera objetivos de investimento, situação financeira e patrimonial ou interesses particulares de qualquer investidor. Os investidores devem obter ou realizar análise independente, considerando sua situação financeira e seus objetivos de investimento, antes de tomar uma decisão de investimento. Investimentos em títulos e valores mobiliários envolvem riscos, razão pela qual não há garantia de rentabilidade ou lucratividade de qualquer espécie. Os resultados obtidos com investimento em instrumentos financeiros podem variar e seu preço ou valor, direta ou indiretamente, pode subir ou descer. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de resultados futuros. A Safra Corretora ou qualquer empresa do Grupo Safra não pode ser responsabilizada por danos diretos, indiretos, consequentes, reivindicações, custos, perdas ou despesas decorrentes da decisão de investimento em títulos e valores mobiliários, esteja esta decisão lastreada ou não nas recomendações expressas neste relatório. Os riscos em investimentos dessa natureza podem implicar, conforme o caso, na perda integral do capital investido ou, ainda, na necessidade de aporte suplementar de recursos. Nenhuma parte deste documento poderá ser reproduzida, distribuída ou copiada, no todo ou em parte, para qualquer finalidade, sem o prévio consentimento por escrito da Safra Corretora. Informações adicionais relativas às companhias ora analisadas neste relatório poderão ser prestadas mediante solicitação. ANALYST O(s) analista(s) responsável(is) pela elaboração do presente relatório declara(m) que as opiniões aqui expressas refletem única e exclusivamente seu ponto de vista e opiniões pessoais, e foi produzido de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Safra Corretora. A opinião do analista, por ser pessoal, pode diferir da opinião constante dos relatórios eventualmente emitidos por outros analistas, pela Safra Corretora e/ou por suas afiliadas e subsidiárias. A remuneração do analista de valores mobiliários é baseada na receita total da Safra Corretora, sendo parte desta proveniente das atividades relacionadas ao banco de investimento. Desta forma, como todos os colaboradores da Safra Corretora, suas subsidiárias e afiliadas, a remuneração dos analistas é impactada pela rentabilidade global e pode estar indiretamente relacionada a este relatório. No entanto, o(s) analista(s) responsável(is) por este relatório declara(m) que nenhuma parte de sua remuneração esteve, está ou estará direta ou indiretamente relacionada a qualquer recomendação ou opinião específica contida aqui ou vinculada à precificação de quaisquer dos ativos aqui discutidos. IMPORTANT INFOMATION ABOUT SAFRA A Safra Corretora, suas controladas, seus controladores ou sociedades sob controle comum declaram que: Têm interesses financeiros e/ou comerciais relevantes e/ou recebe remuneração por serviços prestados às empresas ou fundos: AES Tietê; Alupar Investimentos S.A; Azul; B2W Digital; B3; Banco BTG Pactual; Banco Pan; BR Distribuidora; BR Malls; Braskem; CBD; CCR; Cemig; Cesp; Cielo; Copasa; Copel; Cosan; CPFL Energia S.A; CSN; CTEEP; Cyrela; Cyrela Commercial Properties S.A.; Direcional; Duratex; Ecorodovias; Eletrobras; Embraer; Energias do Brasil; Energisa; Engie Brasil; Equatorial; Estácio; Even; Eztec; Fleury; Fras-le; Gerdau; Gerdau Metalúrgica; Gol; Helbor; Hypermarcas; Iguatemi; Itaú; Itaúsa; JSL; Kroton; Light; Linx; Localiza; Locamerica; Lojas Americanas; Lojas Renner; Mahle Metal Leve; Marcopolo; Mills; Movida; MRV; Petrobrás; Porto Seguro; Raia; Randon; Rumo; Sabesp; Santos Brasil; Ser Educacional; Sul America; TAESA; Tecnisa; Tegma; Telefônica; Tenda; Tim; Tupy; Ultrapar; Usiminas; Vale; Via Varejo; Weg. Companhia de Gás de Minas Gerais – GASMIG; Kazzas Incorporações e Construções S.A; Klabin S.A, Hemisfério Sul Investimentos S.A.; JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário; Quasar FIP-IE; Pátria Edifícios Corporativos Fundo de Investimento Imobiliário – FII; Perfin Apollo Energia Fundo De Investimento em Participações em Infraestrutura – FIP; Raízen Energia S.A.; Notre Dame Intermédica Participações S.A; Companhia de Locação das Américas S.A; Marfrig Global Foods S.A.; Marisa Lojas S.A.