O Copom – sigla para Comitê de Política Monetária – é um órgão do Banco Central criado em 1996 com o objetivo de definir, entre outros indicadores econômicos, a taxa Selic. Em alguns países, como nos Estados Unidos e na Alemanha, órgãos similares também existem, e foi baseado neles que as diretrizes que regem o comitê foram pensadas. 

A cada 45 dias o noticiário econômico é envolvido por discussões sobre a taxa básica de juros da economia, a taxa Selic. É porque é sempre nesse intervalo que o Comitê de Política Monetária do Banco Central, o Copom, se reúne para definir os rumos da taxa de juros.

As reuniões normalmente ocorrem em dois dias seguidos precedidas por um período de silêncio e com a ata publicada na semana seguinte. O calendário completo é divulgado pelo Banco Central com antecedência, até o mês de junho do ano anterior. 

Entender como funciona e qual a importância das decisões tomadas pelo Copom é fundamental para conhecer melhor a política monetária e o funcionamento da economia nacional. Continue lendo para saber mais.

Qual a relação do Copom com a taxa Selic?

O Comitê de Política Monetária, Copom, é um órgão constituído pelo Banco Central que define as diretrizes da política monetária e, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia, Selic.

Segundo o BC, os objetivos do Copom são implementar a política monetária, estabelecer a meta da taxa Selic e analisar o Relatório de Inflação. 

As decisões do Copom são tomadas visando com que a inflação medida pelo IPCA se mantenha com a meta definida pelo Conselho Monetário Nacional - CMN

Essas decisões impactam diretamente o dia a dia dos brasileiros, principalmente os investidores. Entre outros fatores, a variação da taxa Selic influencia na renda fixa e poupança, por isso é interessante acompanhar de perto as movimentações do Copom.

Quem define a taxa Selic?

Ao todo, são nove membros do Copom com direito a voto.  

São eles, o presidente do Banco Central, atualmente Roberto Campos Neto, e os membros da Diretoria Colegiada do Banco, listados a seguir: 

  • Diretor de Administração - Dirad 
  • Diretor de Política Econômica - Dipec 
  • Diretor de Assuntos Internacionais e de Gestão de Riscos Corporativos - Direx 
  • Diretor de Fiscalização - Difis 
  • Diretor de Organização do Sistema Financeiro e Controle de Operações do Crédito Rural - Diorf 
  • Diretor de Política Monetária - Dipom 
  • Diretor de Regulação - Dinor 
  • Diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania - Direc

Como funciona a reunião do Copom?

As reuniões do Copom são divididas em duas sessões, uma às terças-feiras e outra às quartas-feiras.

O primeiro dia é reservado para a apresentação de uma análise técnica do cenário econômico do país, quando se apresentam a visão para indicadores como inflação, nível de atividade, câmbio, finanças públicas, cenário econômico internacional, entre outros.

Além dos diretores, também costumam marcar presença nas discussões técnicas os chefes dos seguintes departamentos do Banco Central: Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos (Deban), Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab), Departamento Econômico (Depec), Departamento de Estudos e Pesquisas (Depep), Departamento das Reservas Internacionais (Depin) e Departamento de Assuntos Internacionais (Derin).

No segundo dia, o chefe do Depep faz uma apresentação técnica sobre o cenário inflacionário. Em seguida, os membros do Copom debatem as informações apresentadas e decidem a meta da taxa Selic por maioria simples.

As reuniões acontecem a portas fechadas, mas, na terça-feira seguinte à decisão, o Banco Central publica as atas das reuniões, disponíveis em português e inglês.

O que é a Ata do Copom

É importante registrar de maneira clara e objetiva as deliberações e decisões que ocorreram durante a reunião do Copom. Esse documento revela os temas em pauta, como foram tratados e as expectativas do comitê para os próximos passos da economia brasileira. 

As Atas das reuniões do Copom são publicadas no prazo de até quatro dias úteis após a data da realização das reuniões. Normalmente, as reuniões do Copom ocorrem em terças e quartas-feiras e a ata é divulgada na terça-feira da semana seguinte, às 8h da manhã.

O Banco Central e a inflação

O Brasil adota o regime de metas para a inflação desde 1999. É dever do Conselho Monetário Nacional (CMN) definir essa meta, e o Banco Central tem como objetivo conduzir a política monetária necessária para alcançar o número estabelecido.  

Para 2022, por exemplo, a meta definida pelo CMN foi de 3,50% para o IPCA. Para 2022, a meta é de 3,25% e, para 2024, 3,00%, com um intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos. 

A taxa Selic apresenta papel fundamental para alcançar a meta de inflação. Isso porque as reduções na taxa de juros podem ter como motivação combater períodos de crise e estimular a economia em períodos nos quais a inflação tende a apresentar comportamento mais deprimido, como foi observado em 2020. 

Neste cenário, a redução da taxa Selic tende a funcionar como estímulo ao consumo, aquecendo a economia e buscando levar a inflação mais próxima da meta.  

Em períodos de inflação elevada, a lógica é contrária: o aumento da taxa Selic tende a restringir o consumo e controlar os preços. Os efeitos da política monetária, no entanto, também podem ocorrer de modo distinto a depender do cenário econômico em cada momento. 

Os efeitos da taxa Selic na economia e nos investimentos, no entanto, são diversos. Ela é a taxa de referência para os demais juros na economia, e por isso também traz impactos nos empréstimos a empresas e pessoas físicas, bem como em taxas como o CDI, que é a principal referência quando se compara o rendimento da renda fixa e de muitos fundos multimercados. 

A história do Copom

O Comitê de Política Monetária foi instituído em 20 de junho de 1996. Ele foi criado no intuito de estabelecer as diretrizes da política monetária do Brasil e também definir a taxa básica de juros na economia. Taxa esta que serve de parâmetro para todas as operações financeiras do país. 

Ainda, com a criação desse órgão, ocorreu uma maior transparência e melhorias nos processos decisórios do Bacen. Nos Estados Unidos, o equivalente do comitê brasileiro é o Federal Open Market Committee (FOMC), sendo um órgão do banco central americano, o FED. Também está relacionado ao Zentralbankrat, o conselho do Deutsche Bundesbank, o banco central alemão. 

O regulamento do Copom tem passado por muitas mudanças desde seu estabelecimento em 1996. As alterações se referem tanto ao objetivo do comitê quanto à periodicidade das reuniões e competências de seus integrantes. 

Em 21 de junho de 1999, pelo Decreto n° 3.088, foi adotada a sistemática de “metas para a inflação” como diretriz de política monetária. Isso é, as decisões do Copom passam a ter como principal objetivo o cumprimento de metas para a inflação, definidas pelo Conselho Monetário Nacional. 

Calendário reunião Copom 2022

O Copom divulga com antecedência as datas de todas as reuniões do colegiado. Confira o calendário completo do Copom para o ano de 2022: 

Datas das Reuniões: 

  • 1º e 2 de fevereiro 
  • 15 e 16 de março 
  • 3 e 4 de maio 
  • 14 e 15 de junho 
  • 2 e 3 de agosto 
  • 20 e 21 de setembro 
  • 25 e 26 de outubro 
  • 6 e 7 de dezembro 

O ano de 2021 também contou com oito reuniões. A última, que aconteceu nos dias 7 e 8 de dezembro, elevou a Selic a 9,25% para encerrar o ano.