Cheque especial, cartão de crédito, empréstimo pessoal e consignado. As soluções de crédito podem ser uma mão amiga para alcançar objetivos ou atravessar adversidades, mas também podem se tornar armadilhas para quem não as utiliza de maneira planejada.

Ciente desses riscos, o Safra traz explicações básicas sobre o funcionamento das principais modalidades de crédito para que você possa saber qual é a mais indicada para cada situação.

Lembrando que, por trás de casa linha de crédito, há uma instituição que deve confiar na sua capacidade de pagamento e aprovar um limite a ser disponibilizado. Entenda melhor a seguir.

Cheque especial

Também conhecido como 'limite pré-aprovado', o cheque especial funciona como um empréstimo automático para cobrir o saldo negativo da conta.

Sendo uma opção viável para situações de emergência ou imprevistos, seu uso é indicado em casos específicos para cobrir despesas pontuais e não planejadas, sob a condição de que você terá recursos para restituir o limite utilizado e pagar os custos de seu uso em pouco tempo.

Isso porque o uso dessa modalidade está sujeito à cobrança de juros e encargos de acordo com prazo e valor utilizado.
O grande malefício do cheque especial aparece quando o seu limite é considerado uma parte corriqueira dos recursos destinados às despesas mensais.

Nesse sentido, se a situação não for emergencial, ou seja, se o uso acontecer com frequência, é importante rever os seus gastos.

Lembre-se de que existem outras opções de linhas de crédito com custos bem mais baixos, como o empréstimo e o crédito consignado.

Cartão de crédito

O cartão de crédito é um meio de pagamento eletrônico atrelado a uma linha de crédito pré-aprovada, que possibilita a compra de produtos e serviços pelo preço à vista ou com condições especiais de parcelamento antes da data do vencimento da fatura. Esse item é excelente para compra de bens parcelados, principalmente sem juros.

A melhor data para usar seu cartão é quando a fatura chega, ou seja, um pouco antes do vencimento, visto que, provavelmente você vai ter mais de 30 dias para pagar. No Safra, sua contratação é simples e pode ser feita diretamente pelo aplicativo ou Internet Banking.

Entretanto, é importante ter organização e disciplina para usar esse recurso, visto que, compras por impulso e sem planejamento podem gerar dívidas e inadimplência.

Por isso, evite emprestar seu cartão de crédito para parentes ou amigos e sempre pague o valor total da sua fatura na data de vencimento, pois os juros cobrados no cartão são mais elevados que os de outras opções de crédito.

Lembre-se que a senha deve ser memorizada e nunca anotada ou guardada junto ao cartão.

Empréstimo

O empréstimo é uma linha de crédito parcelado que pode ser utilizada para qualquer necessidade. As taxas dependem das condições disponíveis e da garantia.

Esse recurso é indicado quando se deseja obter um fôlego adicional no pagamento dos compromissos, organização das finanças, aquisição de bens e até para investir na abertura de um negócio próprio, já que tem custos mais baixos. No Safra, a contratação do Empréstimo pode ser feita pelo aplicativo ou Internet Banking.

Leia também:
FGTS: Como funciona e quando utilizar os recursos
Saiba como declarar seus investimentos no Imposto de Renda

Mesmo sendo bastante atrativo, também é preciso ter organização das finanças, pois, em caso de inadimplência, o bem oferecido como garantia do empréstimo pode ser tomado para quitar sua dívida.

Não prejudique o seu orçamento contratando um empréstimo sem avaliar com cuidado se as parcelas cabem no seu bolso, e certifique-se de que não comprometerá sua renda com outras despesas.

Consignado

Algumas linhas de negócios como, a Safra Financeira, têm convênios com empresas ou órgãos públicos para oferecer empréstimos consignados.

As prestações do empréstimo são descontadas automaticamente pela fonte pagadora diretamente do salário, aposentadoria ou pensão. Dada a maior previsibilidade do desconto em folha, as taxas do consignado costumam ser mais atrativas.

E uma dica sempre importante: busque não acumular empréstimos para evitar o endividamento.

Financiamento

Vale destacar que para a aquisição de determinados bens, como carros ou imóveis, há modalidades de financiamento em que o próprio bem financiado serve como garantia, o que tende a permitir condições melhores de prazo e juros, a depender da análise de crédito.

Dicas para uso consciente do crédito

Acreditamos que a melhor maneira de não entrar no vermelho é saber quais são suas receitas e as despesas do mês e administrá-las para manter o equilíbrio.

As despesas são todos os gastos que você tem no mês, como alimentação, educação, aluguel, conta de luz, gás e água. Já a receita é tudo aquilo que entra de dinheiro, por exemplo, salário, comissões, bônus.

O ideal é mensalmente somar as despesas e subtraí-la do total da receita,  para que se tenha dimensão do quanto vai sobrar ou faltar no final do mês.

Caso as suas despesas sejam maiores que as receitas mensais, você precisa enxugar os gastos e estabelecer limites para equilibrar o saldo e chegar a uma vida financeira saudável e tranquila.

Você pode se programar para poupar uma parte do seu saldo mensal e criar uma reserva de emergência, importante para evitar endividamento diante de emergências.

credito consciente.jpg

Além disso, é necessário conhecer elementos importantes para utilizar o crédito de modo consciente, como:

  • Custo efetivo total (CET): É a taxa que leva em conta todos os encargos e despesas incidentes nas operações de crédito, como taxa de juros, tributos, tarifas, seguros, custos de registro de contrato. Por ser o somatório dos diversos elementos que compõem a taxa final das operações, é de suma importância considerar os Custos Efetivos Totais antes de contratar uma operação de crédito.
     
  • Liquidação antecipada: Trata-se do direito que o cliente tem de realizar a liquidação antecipada de seu empréstimo, o que acompanha uma redução proporcional dos juros e demais acréscimos, cujos cálculos serão realizados nos termos da Resolução 3.516/2007 do Conselho Monetário Nacional.
     
  • Desistência: Toda operação contratada por telefone ou por meio online tem um prazo de desistência de até sete dias a partir do recebimento do crédito. Nessas circunstâncias, o montante deve ser devolvido ao banco com acréscimo de IOF (caso recolhido).
     
  • Portabilidade: Refere-se à possibilidade do cliente que contratou uma operação de crédito em uma instituição financeira transferi-la para outra, sem a incidência de IOF, desde que o valor e o prazo da operação na nova instituição não sejam superiores ao saldo devedor e ao prazo remanescente da operação de crédito objeto da portabilidade.