O Santander Brasil (SANB11) apresentou resultados ruins no primeiro trimestre de 2022, conforme esperado. O lucro atingiu R$ 4,005 bilhões (EPU de R$ 1,07), o que é estável em relação ao ano anterior, representando uma rentabilidade de 20,7%.

O resultado do Santander foi impactado negativamente pelo aumento do custo do crédito e resultados mais fracos da margem financeira com o mercado, que mais do que compensaram o forte desempenho da margem financeira com os clientes.

Saiba mais:
Conheça aqui os serviços exclusivos da Safra Corretora
> Acompanhe as análises do Safra em nosso canal no Telegram

O total de margem financeira no primeiro trimestre de 2022 ficou ligeiramente acima da nossa, totalizando R$ 13,938 bilhões, alta de 3,8% A/A, mas queda de 1,5% T/T, principalmente de um bom desempenho da receita líquiada com clientes (+29,6% A/A e +12,9% T/T), refletindo os volumes de crédito ainda sólidos, mix (para margens mais altas) e captação se espalha.

 A margem financeira com o mercado caiu fortemente (-97% A/A e -95% T/T) negativamente impactada pelo movimento ascendente da curva de juros sobre os custos de captação.

A carteira de crédito do Santander Brasil continua crescendo em termos homólogos (+7,2%), ainda na maior procura de crédito a Particulares e PME em o período.

No entanto, na base trimestral, a carteira total do Santander caiu 1,6% (e - 0,6% excluindo flutuações cambiais), principalmente devido ao segmento Corporate, que caiu 7,7% no trimestre, enquanto os demais segmentos permaneceram estáveis ​​no período.

A respeito do nível de postergação de amortizações, o Santander informou volume de R$ 27,6 bilhões (vs R$ 23,6 bilhões no trimestre anterior), representando ~6% do total da carteira de empréstimos.

A Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (ALL) atingiu R$ 4,612 bilhões no 1T21, +45,9% A/A, +24,9% T/T e 16,5% acima do nosso estimativas.

Olhando para a qualidade do crédito, o rácio de inadimplência > 90 dias continua a mover-se para pré- Níveis de pandemia, mantendo-se em 2,9% A/A (vs. 2,1% no ano passado e 2,7% no 1T21), principalmente devido ao segmento de pessoas físicas (que cresceu 40bps T/T para 4,0%).

O NPL mais curto (entre 15 e 90 dias) foi de 4,2%. O índice de cobertura atingiu 215%, queda de 5 p.p. T/T. Dentro 1T22, o Santander promoveu forte campanha de renegociação de crédito que liderou as negociações da carteira que crescerá para R$ 27,6 bilhões, alta de 20,6%A/A.

As Receitas de taxas (ex-Getnet) atingiram R$ 4,980 bilhões, um aumento de +5,7% A/A, principalmente suportado por cartões/serviços de adquirência (+27,7% A/A) na maior transacionalidade.

Por outro lado, as taxas totais caíram 7,3% T/T, refletindo efeitos sazonais. As receitas de produtos de seguros totalizaram R$ 744 milhões, estável ano a ano, mas 25,7% abaixo do trimestre e 19,9% abaixo das nossas estimativas, devido ao maior concentração de renovações de apólices em relação ao trimestre anterior.

As despesas operacionais do Santander vieram dentro da nossa expectativa, atingindo R$ 5,534 bilhões, um aumento de +10,5% A/A e queda 1,5% T/T.

O acordo coletivo (feito no 3T21) continua colocando pressão sobre as despesas de pessoal (que subiram +14,1% A/A), enquanto as despesas administrativas (ex-D&A) cresceram +8,2% no período, em função de maior transacionalidade, tecnologia serviços e maiores investimentos em novas iniciativas de negócios.

Com isso, o indice de eficiência do Santander (métrica do banco) no trimestre foi de 36,0% (vs. 34,2% no ano anterior e
37,4% no 4T21).

A linha de outras despesas operacionais atingiu R$ 2,004 bilhões no 1T22, queda de -6,8% A/A e -30,2% T/T. No 1T22, o Santander registrou lucro não operacional de R$ 372 milhões do efeito de valor agregado da CIP (Câmara Interbancária de Pagamentos).

Por fim, o lucro líquido gerencial atingiu R$ 4,005 bilhões (DPU de R$ 1,07), alta de 1,3% A/A, +3,2% T/T e apenas 1,9% acima de nós.

Com isso, a rentabilidade do Santander atingiu 20,3% (estável em relação ao mesmo período do ano anterior). Embora esse  resultado seja melhor do que o esperado, o lucro antes dos impostos caiu 13,7% A/A e 4,8% abaixo dos nossos números, que foram compensados ​​pelo imposto de renda abaixo do esperado provisões (-38% A/A e 18,8% abaixo de nós).

Em relação ao nível de capital, o Santander Brasil atingiu um CET1 totalmente carregado de 11,7% (vs. 11,6% anteriormente) e índice de BIS de 14,7% (vs. 14,9% no trimestre anterior), principalmente devido ao aumento dos ativos ponderados pelo risco, parcialmente compensado pelo capital regulatório devido à retenção de lucros no período.

Em nossa opinião, os resultados do Santander no 1T22 foram fracos, impactados pelo aumento do custo do crédito
e desempenho inferior do NII com a linha de mercado.

No entanto, esperamos que os resultados melhorarem nos próximos trimestres, em função da solidez da margem financeira com clientes, recuperação da receita liquida com o mercado (principalmente no 2S, após o fim da alta dos juros ciclo), e potencial aumento nas receitas de serviços da fidelização crescente dos bancos. base de clientes.

Temos uma classificação de compra para SANB11, com TP de R$46,5/unidade 22YE. Atualmente o Santander está negociando no múltiplo P/E22e de 7,4x (quase em linha com os pares média de 7,6x), e P/BV22e de 1,5x.

SANB11 no 4º tri

Os resultados do Santander Brasil no 4T21 foram mais fracos do que nossas expectativas, mas não necessariamente ruins nas principais linhas. A fraqueza diante das nossas estimativas veio da margem com o mercado e de despesas operacionais que são mais voláteis em base trimestral.

Como esperado, as despesas foram pressionadas pelo acordo coletivo aplicado sobre a base salarial da companhia desde setembro de 2021.

A receita e as tarifas foram, de longe, os principais destaques positivos do trimestre, enquanto o volume de empréstimos e a qualidade do crédito se mantiveram em bons níveis.

Vale a pena investir em SANB11? 

  1. Melhora na lucratividade em uma estratégia bem-sucedida orientada para o cliente;
  2. A estratégia de crescimento orgânico parece estar trabalhando a favor da melhoria da participação de mercado de algumas linhas de negócios (como cartões e crédito);
  3. Como conseqüência, o banco registrou importante evolução na receita de serviços (na maioria de suas linhas de negócios);
  4. O Santander registrou uma melhora significativa na renda líquida com juros, o que é uma combinação de aumento de spreads e ligeiro aumento de volume;
  5. Melhor qualidade dos ativos deve permitir que a melhoria da rentabilidade permaneça sustentável;
  6. Ganhos de eficiência e controle de custos também permitem que o Santander acelere os lucros;
  7. Escala global.

Quais os riscos ao investir em SANB11?

  1. A diferença de lucratividade pode diminuir em comparação com os pares, mas acreditamos que é improvável que desapareça;
  2. A avaliação das ações parece esticada e o Santander está sendo negociado no múltiplo P/L mais alto da indústria.

Sobre o Santander (SANB11)

O Banco Santander Brasil é o único banco internacional com escala no país, sendo o terceiro maior banco privado.

A instituição, com sede na Espanha, tem foco no varejo e forte integração com o banco de atacado.

As units do Santander são listadas na B3, negociadas sob o ticker SANB11. 

Ações do Santander (SANB11)

IMPORTANT GENERAL DISCLOSURES Este relatório tem caráter meramente informativo e não constitui oferta de compra ou de venda de títulos ou valores mobiliários ou de instrumentos financeiros de quaisquer espécies ou de participação em qualquer estratégia de negociação. As informações expressas neste documento são obtidas de fontes públicas disponíveis até a data da sua elaboração pela equipe de Análises Gráficas da Safra Corretora, e são consideradas seguras. A Safra Corretora ou qualquer de suas afiliadas não garante, expressa ou implicitamente, a completude, confiabilidade ou exatidão de tais informações, nem este relatório pretende ser uma base de dados e informações completa ou resumida sobre os títulos ou valores mobiliários, instrumentos financeiros, mercados ou produtos aqui referidos. A Safra Corretora não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório, tampouco de comunicar o leitor deste relatório, salvo quando deixar de cobrir qualquer das empresas analisadas neste relatório. As opiniões, estimativas, informações e projeções aqui expressas constituem a opinião do analista no momento em que emitiu o presente relatório e podem ser alteradas sem qualquer aviso. Preços e disponibilidade dos instrumentos financeiros são apenas indicativos e estão sujeitos a alterações, independentemente de qualquer aviso. Os instrumentos discutidos nesse relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não considera objetivos de investimento, situação financeira e patrimonial ou interesses particulares de qualquer investidor. Os investidores devem obter ou realizar análise independente, considerando sua situação financeira e seus objetivos de investimento, antes de tomar uma decisão de investimento. Investimentos em títulos e valores mobiliários envolvem riscos, razão pela qual não há garantia de rentabilidade ou lucratividade de qualquer espécie. Os resultados obtidos com investimento em instrumentos financeiros podem variar e seu preço ou valor, direta ou indiretamente, pode subir ou descer. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de resultados futuros. A Safra Corretora ou qualquer empresa do Grupo Safra não pode ser responsabilizada por danos diretos, indiretos, consequentes, reivindicações, custos, perdas ou despesas decorrentes da decisão de investimento em títulos e valores mobiliários, esteja esta decisão lastreada ou não nas recomendações expressas neste relatório. Os riscos em investimentos dessa natureza podem implicar, conforme o caso, na perda integral do capital investido ou, ainda, na necessidade de aporte suplementar de recursos. Nenhuma parte deste documento poderá ser reproduzida, distribuída ou copiada, no todo ou em parte, para qualquer finalidade, sem o prévio consentimento por escrito da Safra Corretora. Informações adicionais relativas às companhias ora analisadas neste relatório poderão ser prestadas mediante solicitação. ANALYST O(s) analista(s) responsável(is) pela elaboração do presente relatório declara(m) que as opiniões aqui expressas refletem única e exclusivamente seu ponto de vista e opiniões pessoais, e foi produzido de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Safra Corretora. A opinião do analista, por ser pessoal, pode diferir da opinião constante dos relatórios eventualmente emitidos por outros analistas, pela Safra Corretora e/ou por suas afiliadas e subsidiárias. A remuneração do analista de valores mobiliários é baseada na receita total da Safra Corretora, sendo parte desta proveniente das atividades relacionadas ao banco de investimento. Desta forma, como todos os colaboradores da Safra Corretora, suas subsidiárias e afiliadas, a remuneração dos analistas é impactada pela rentabilidade global e pode estar indiretamente relacionada a este relatório. No entanto, o(s) analista(s) responsável(is) por este relatório declara(m) que nenhuma parte de sua remuneração esteve, está ou estará direta ou indiretamente relacionada a qualquer recomendação ou opinião específica contida aqui ou vinculada à precificação de quaisquer dos ativos aqui discutidos. IMPORTANT INFOMATION ABOUT SAFRA A Safra Corretora, suas controladas, seus controladores ou sociedades sob controle comum declaram que: Têm interesses financeiros e/ou comerciais relevantes e/ou recebe remuneração por serviços prestados às empresas ou fundos: AES Tietê; Alupar Investimentos S.A; Azul; B2W Digital; B3; Banco BTG Pactual; Banco Pan; BR Distribuidora; BR Malls; Braskem; CBD; CCR; Cemig; Cesp; Cielo; Copasa; Copel; Cosan; CPFL Energia S.A; CSN; CTEEP; Cyrela; Cyrela Commercial Properties S.A.; Direcional; Duratex; Ecorodovias; Eletrobras; Embraer; Energias do Brasil; Energisa; Engie Brasil; Equatorial; Estácio; Even; Eztec; Fleury; Fras-le; Gerdau; Gerdau Metalúrgica; Gol; Helbor; Hypermarcas; Iguatemi; Itaú; Itaúsa; JSL; Kroton; Light; Linx; Localiza; Locamerica; Lojas Americanas; Lojas Renner; Mahle Metal Leve; Marcopolo; Mills; Movida; MRV; Petrobrás; Porto Seguro; Raia; Randon; Rumo; Sabesp; Santos Brasil; Ser Educacional; Sul America; TAESA; Tecnisa; Tegma; Telefônica; Tenda; Tim; Tupy; Ultrapar; Usiminas; Vale; Via Varejo; Weg. Companhia de Gás de Minas Gerais – GASMIG; Kazzas Incorporações e Construções S.A; Klabin S.A, Hemisfério Sul Investimentos S.A.; JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário; Quasar FIP-IE; Pátria Edifícios Corporativos Fundo de Investimento Imobiliário – FII; Perfin Apollo Energia Fundo De Investimento em Participações em Infraestrutura – FIP; Raízen Energia S.A.; Notre Dame Intermédica Participações S.A; Companhia de Locação das Américas S.A; Marfrig Global Foods S.A.; Marisa Lojas S.A.