A Cyrela (CYRE3) divulgou resultados mistos no 3T21. O resultado foi marcado pela expansão robusta no volume de lançamentos, que foi ofuscada pela desaceleração das vendas, já que 70% dos lançamentos da empresa foram concentrados no final de setembro.

Além disso, houve uma deterioração de 411 bps em sua margem líquida, explicada principalmente por despesas não recorrentes de R$37 milhões devido a contingências judiciais.

Saiba mais:
Conheça aqui os serviços exclusivos da Safra Corretora
> Acompanhe as análises do Safra em nosso canal no Telegram

Resumindo, os lançamentos da Cyrela (CYRE3) atingiram R$1,9bi em VGV líquido, representando uma expansão de 41% A/A, o que levou a um volume de R$3,7bi lançados nos 9M21 (+ 53% A/A). No geral, a maioria de seus lançamentos foi realizada no segmento de alta renda, que representou ~ 61,5% de todos os lançamentos do período.

Mesmo assim, a empresa apresentou uma contração de 16% no comparativo anual nas vendas contratadas, para R$1,1 bilhão. Isso também se refletiu no índice de SoS dos últimos 12 meses, que contraiu 190 bps em relação ao ano anterior e atingiu 49,6%.

Impulsionada pela robusta atividade de lançamentos nos últimos 12 meses, a receita líquida da Cyrela (CYRE3) aumentou 11% A/A, para R$1,3 bilhão no 3T21.

A (CYRE3) apresentou ligeira deterioração em sua margem bruta ajustada, mas ainda se manteve acima dos níveis históricos. No geral, houve uma contração T/T de 180 bps, para 35,6%, o que foi parcialmente explicado pela difícil base de comparação do 2T21.

Além disso, a margem bruta a apropriar da empresa também se deteriorou 40 bps no trimestre, para 36,5% no 3T21, sinalizando uma provável estabilização das margens no futuro.

O resultado financeiro da empresa diminuiu 11% no trimestre, para R$238 milhões no 3T21. No geral, a deterioração um pouco pior de seu faturamento líquido foi impulsionada pela expansão de 26% nas despesas tributárias e maior resultado da participação de minoritários, que atingiu R$29 milhões, ante R$23 milhões no 2T21.

Em suma, apesar dos resultados mistos, estamos mantendo nossa classificação de compra para (CYRE3), principalmente considerando seu portfólio flexível e o excelente posicionamento de sua marca para capturar o forte impulso de vendas do segmento de alta renda.

Vale a pena investir em CYRE3?

  1. Crescimento esperado para o setor de construção civil nos próximos anos pode impulsionar o desempenho das joint ventures da Cyrela;
  2. Perspectiva de bom desempenho trimestral em lançamentos, vendas e rentabilidade;
  3. Podem beneficiar a empresa melhoras no comportamento da inflação, confiança dos consumidores e taxa de desemprego.

Quais os riscos ao investir em CYRE3?

  1. Lançamentos abaixo do esperado devido ao aumento ou manutenção do desemprego;
  2. Vendas de estoque abaixo do esperado, prejudicando a geração de caixa da empresa;
  3. Impacto da competição sobre os volumes de vendas, preços e aquisição de terrenos.

Sobre a Cyrela (CYRE3) 

A Cyrela foi constituída em 1962 pelo atual acionista Elie Horn e foi listada na Bolsa paulista em 2005. Em 2007, a operação no segmento de lajes corporativas de alto padrão, assim como de administração de shopping centers, foi transferida a uma nova companhia, a Cyrela Commercial Properties (CCP).

A companhia também atua por meio das marcas Living, com foco no segmento de médio padrão, e Vivaz, com foco no programa Minha Casa Minha Vida.

E, além de uma participação na Tecnisa, a Cyrela detém o controle da incorporadora Plano & Plano (PLPL3). Há ainda as joint ventures Cury (CURY3), que desenvolve projetos no segmento econômico, em SP e RJ, e Lavvi (LAVV3), voltada para médio e alto padrão em SP.

Listada na B3, a Cyrela tem suas ações negociadas sob o ticker CYRE3. 

Ações da Cyrela (CYRE3)

IMPORTANT GENERAL DISCLOSURES Este relatório tem caráter meramente informativo e não constitui oferta de compra ou de venda de títulos ou valores mobiliários ou de instrumentos financeiros de quaisquer espécies ou de participação em qualquer estratégia de negociação. As informações expressas neste documento são obtidas de fontes públicas disponíveis até a data da sua elaboração pela equipe de Análises Gráficas da Safra Corretora, e são consideradas seguras. A Safra Corretora ou qualquer de suas afiliadas não garante, expressa ou implicitamente, a completude, confiabilidade ou exatidão de tais informações, nem este relatório pretende ser uma base de dados e informações completa ou resumida sobre os títulos ou valores mobiliários, instrumentos financeiros, mercados ou produtos aqui referidos. A Safra Corretora não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório, tampouco de comunicar o leitor deste relatório, salvo quando deixar de cobrir qualquer das empresas analisadas neste relatório. As opiniões, estimativas, informações e projeções aqui expressas constituem a opinião do analista no momento em que emitiu o presente relatório e podem ser alteradas sem qualquer aviso. Preços e disponibilidade dos instrumentos financeiros são apenas indicativos e estão sujeitos a alterações, independentemente de qualquer aviso. Os instrumentos discutidos nesse relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não considera objetivos de investimento, situação financeira e patrimonial ou interesses particulares de qualquer investidor. Os investidores devem obter ou realizar análise independente, considerando sua situação financeira e seus objetivos de investimento, antes de tomar uma decisão de investimento. Investimentos em títulos e valores mobiliários envolvem riscos, razão pela qual não há garantia de rentabilidade ou lucratividade de qualquer espécie. Os resultados obtidos com investimento em instrumentos financeiros podem variar e seu preço ou valor, direta ou indiretamente, pode subir ou descer. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de resultados futuros. A Safra Corretora ou qualquer empresa do Grupo Safra não pode ser responsabilizada por danos diretos, indiretos, consequentes, reivindicações, custos, perdas ou despesas decorrentes da decisão de investimento em títulos e valores mobiliários, esteja esta decisão lastreada ou não nas recomendações expressas neste relatório. Os riscos em investimentos dessa natureza podem implicar, conforme o caso, na perda integral do capital investido ou, ainda, na necessidade de aporte suplementar de recursos. Nenhuma parte deste documento poderá ser reproduzida, distribuída ou copiada, no todo ou em parte, para qualquer finalidade, sem o prévio consentimento por escrito da Safra Corretora. Informações adicionais relativas às companhias ora analisadas neste relatório poderão ser prestadas mediante solicitação. ANALYST O(s) analista(s) responsável(is) pela elaboração do presente relatório declara(m) que as opiniões aqui expressas refletem única e exclusivamente seu ponto de vista e opiniões pessoais, e foi produzido de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Safra Corretora. A opinião do analista, por ser pessoal, pode diferir da opinião constante dos relatórios eventualmente emitidos por outros analistas, pela Safra Corretora e/ou por suas afiliadas e subsidiárias. A remuneração do analista de valores mobiliários é baseada na receita total da Safra Corretora, sendo parte desta proveniente das atividades relacionadas ao banco de investimento. Desta forma, como todos os colaboradores da Safra Corretora, suas subsidiárias e afiliadas, a remuneração dos analistas é impactada pela rentabilidade global e pode estar indiretamente relacionada a este relatório. No entanto, o(s) analista(s) responsável(is) por este relatório declara(m) que nenhuma parte de sua remuneração esteve, está ou estará direta ou indiretamente relacionada a qualquer recomendação ou opinião específica contida aqui ou vinculada à precificação de quaisquer dos ativos aqui discutidos. IMPORTANT INFOMATION ABOUT SAFRA A Safra Corretora, suas controladas, seus controladores ou sociedades sob controle comum declaram que: Têm interesses financeiros e/ou comerciais relevantes e/ou recebe remuneração por serviços prestados às empresas ou fundos: AES Tietê; Alupar Investimentos S.A; Azul; B2W Digital; B3; Banco BTG Pactual; Banco Pan; BR Distribuidora; BR Malls; Braskem; CBD; CCR; Cemig; Cesp; Cielo; Copasa; Copel; Cosan; CPFL Energia S.A; CSN; CTEEP; Cyrela; Cyrela Commercial Properties S.A.; Direcional; Duratex; Ecorodovias; Eletrobras; Embraer; Energias do Brasil; Energisa; Engie Brasil; Equatorial; Estácio; Even; Eztec; Fleury; Fras-le; Gerdau; Gerdau Metalúrgica; Gol; Helbor; Hypermarcas; Iguatemi; Itaú; Itaúsa; JSL; Kroton; Light; Linx; Localiza; Locamerica; Lojas Americanas; Lojas Renner; Mahle Metal Leve; Marcopolo; Mills; Movida; MRV; Petrobrás; Porto Seguro; Raia; Randon; Rumo; Sabesp; Santos Brasil; Ser Educacional; Sul America; TAESA; Tecnisa; Tegma; Telefônica; Tenda; Tim; Tupy; Ultrapar; Usiminas; Vale; Via Varejo; Weg. Companhia de Gás de Minas Gerais – GASMIG; Kazzas Incorporações e Construções S.A; Klabin S.A, Hemisfério Sul Investimentos S.A.; JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário; Quasar FIP-IE; Pátria Edifícios Corporativos Fundo de Investimento Imobiliário – FII; Perfin Apollo Energia Fundo De Investimento em Participações em Infraestrutura – FIP; Raízen Energia S.A.; Notre Dame Intermédica Participações S.A; Companhia de Locação das Américas S.A; Marfrig Global Foods S.A.; Marisa Lojas S.A.